Quais estádios do mundo utilizam grama sintética?
Além dela não atrapalhar o desempenho dos atletas, é bem semelhante a grama natural. Tem agradável impacto estético aos olhos e pode ser usada em diferentes tipos de terrenos. Até mesmo naquelas áreas menos acessíveis e irregulares.

Uma tecnologia que está ganhando espaço no Brasil é a grama sintética. Ela substitui a grama natural em muitos lugares, inclusive nos campos de futebol, em estádios espalhados pelo mundo essa prática é bastante popular. Você já ouviu falar desses estádios? Conhece os benefícios da troca?

Estádios com grama sintética:

  • Rússia: Luzhniki foi o 1º estádio com autorização para grama sintética. Ele será palco da Copa do mundo de 2018, que será o primeiro Mundial masculino disputado em gramado sintético, que comprova a qualidade do gramado.
  • México: Estádio Caliente fica na fronteira com os Estados Unidos. O motivo da casa dos Xolós ter instalado grama artificial foi totalmente técnico, de acordo com as características ambientais do estádio, seria impossível crescer grama natural. Ele foi construído sobre um terreno de fontes termais. 
  • Estados Unidos: O CenturyLink Field (casa do Seattle Seahawks) foi o primeiro campo sintético da liga esportiva profissional de futebol americano (NFL) e casa do Seattle Sounders (time de futebol). 
  • Suíça: O Stade de Suisse é o abrigo do Yong Boys e o 2º maior estádio do país. Foi pensando na resistência e durabilidade que, em 2007, houve a troca para grama sintética. Uma vez que as partidas de hóquei com lotação máxima num estádio desse porte ocorreriam grandes danos no gramado natural.
  • Cazaquistão: Astana Arena além de ser casa do time da cidade de Astana, é um local muito visado para shows. Como o peso dos palcos e demais estruturas forçam o campo, o gramado artificial foi colocado. Ele resiste à todos os eventos que ocorrem no local.
  • Canadá: O BC Place, em Vancouver, teve partidas dos jogos da Copa do Mundo de Futebol feminino em 2015. É um estádio multiesportivo que comporta diversos jogos.

Benefícios da grama sintética:

grama sintética para futebol

Muitos países como na Europa, instalam a grama sintética devido às condições climáticas. O frio desses lugares prejudica o crescimento da grama e a manutenção dos fios. Tentativas de cultivo fracassam. A Rússia é um exemplo onde os termômetros registram temperaturas extremas.

Já em questão de economia, é preciso levar em conta os gastos em curto prazo. Eles podem até ser alto, mas se trata apenas da instalação.  Tanto a  médio quanto longo prazo é possível perceber a diferença de custos. A grama sintética é muito mais barata.

Sem contar que é bem mais resistente e sua manutenção baixa.  Não se gasta com água para irrigação,  luz elétrica, pesticidas, inseticidas, etc.

Também é um ponto positivo a durabilidade do gramado. Enquanto no natural só podem acontecer de 3 a 4 jogos semanais, no sintético as partidas são liberadas todos os dias. A estimativa de vida útil para esse campo (se for cuidado de forma correta) é entre 5 a 10 anos.

Outro ponto que merece destaque é em relação ao impacto ambiental. A grama sintética não causa problemas à natureza, pelo contrário ela evita. São dispensados produtos químicos que contaminam o solo e lençóis freáticos.

Com tantos bons motivos dá para entender porque a grama sintética se faz presente nos estádios mundiais, não é mesmo?

Além dela não atrapalhar o desempenho dos atletas, é bem semelhante a grama natural. Tem agradável impacto estético aos olhos e pode ser usada em diferentes tipos de terrenos. Até mesmo naquelas áreas menos acessíveis e irregulares.

Diante dessas vantagens, a instalação da grama sintética se revela a solução para muitos problemas. Basta pesquisar a reputação da empresa.

Na Sportlink  seus clientes ficam tranquilos, pois se trata de uma empresa especializada na fabricação, manutenção e consultoria em projetos com grama sintética. Com muitos anos de dedicação no segmento, excelentes resultados e qualidade, têm muita credibilidade. Entre em contato e saiba mais!

Quais estádios do mundo utilizam grama sintética?