Por que o Futebol Americano só Investe em Grama Sintética?

Grama Sintética para Futebol Americano

Quando o assunto é o uso de grama sintética para esportes, uma modalidade se destaca: o futebol americano. Enquanto esse tipo de piso ainda caminha no futebol “normal”, em meio a polêmicas e quedas de braço nos bastidores, no futebol com as mãos ele já se estabeleceu.

Surgimento e História da Grama Sintética na NFL

A grama sintética no futebol americano vem de longe. Desde o fim dos anos 60, quando a liga americana era unificada e transformada na NFL (National Football League), surgia o hábito de usar esse outro tipo de grama para esportes.

Após a construção do primeiro estádio coberto do mundo, em Houston, foi verificado que a cobertura transparente prejudicava a visão dos atletas, filtrando a luz do sol em direções diferentes.

Decidiu-se, então, pintar os painéis de cobertura, o que tapou a luz do sol e impactou no estado do piso. Com a ausência dos raios solares, a grama natural não aguentou e começou a morrer, tendo sua qualidade avariada.

Queda e Renascimento da Grama Sintética

Ainda em sua “primeira geração”, aquele tipo de grama sintética desenvolvido 50 anos atrás era precário e logo ganhou suas primeiras críticas e contestações. Mesmo assim, ao longo dos anos seu uso foi difundido pelo país, ganhando também os campos de beisebol.

Foi só mais recentemente que ele se estabeleceu como padrão. Atualmente, apenas Miami e Houston — dois lugares de clima quente — são exceção e mantém grama natural em seus estádios.

Por que o Futebol Americano Escolheu a Grama Sintética

Alguns motivos, além do baixo custo de instalação e manutenção, são responsáveis pela adoção definitiva da grama sintética por praticamente todos os times da NFL.

O primeiro é o clima ruim, típico do outono/inverno da América do Norte, estações em que a temporada é disputada. Não raro, chove e até neva durante as partidas, o que faria da grama natural um atoleiro.

Em segundo lugar existe a importância das marcações e desenhos no gramado. Essas marcas e linhas de jardas são vitais para o andamento dos jogos de futebol americano — baseado no avanço e ultrapassagem dessas marcas. No piso artificial sua qualidade permanece intacta e visível.

Por último, há a necessidade de uso dos estádios para outros tipos de eventos, como shows, festivais e modalidades diversas. A grama sintética garante menos prejuízos quando usada para finalidades diferentes.

Fale com a Sportlink

A Sportlink é especializada na fabricação, manutenção e consultoria em projetos com grama sintética, sendo reconhecida pelo desempenho e qualidade de sua grama artificial para o segmento esportivo e recreativo.

Referência no mercado, está pronta para atender diversas demandas relacionadas a grama artificial. Entre em contato e solicite um orçamento.

ENTRE-EM-CONTATO-SPORTLINK

Por que o Futebol Americano só Investe em Grama Sintética?